Quando nos deparamos com todas aquelas tarefas do dia a dia e com uma criança em casa, logo pensamos na TV, o que acontece todos, ou quase todos, os dias e o tempo ali em frente às telas, geralmente, não é pouco.

Acredito que precisamos estar mais atentos a isso. Sei que não é fácil ter uma criança em casa o dia todo e encontrar atividades que chamem sua atenção, sei também que precisamos do nosso tempo e em alguns momentos queremos apenas ficar no nosso cantinho lendo um livro, batendo um papo pelo celular, enfim, fazendo o que a gente gosta. Mas também acho que tudo isso é possível sem precisar deixar nossos pequenos horas e horas grudados nas telas.

Ouvimos muito por aí: “mamães, não se culpem se seu(ua) filho(a) estiver passando mais tempo na TV, principalmente neste período de quarentena, este momento vai passar e você não precisa se cobrar demais por isso.”

Acredito que sair por aí compartilhando informações desse tipo não vai ajudar, pois se a gente deixar as crianças o dia todo assistindo, haverá sim uma preocupação. Precisamos nos perguntar: que tempo a mais é esse?? Um dia ou outro, tudo bem, pode acontecer, mas que seja quando não existir outra opção.

Não precisa se tornar uma rotina. Devemos estar sempre atentos e buscar atividades que chamem a atenção da criança, porque o uso excessivo de tecnologia afeta o desenvolvimento psicomotor, contribui com a obesidade e com o sedentarismo, afeta a qualidade do sono, diminui o estímulo para estudar e desenvolver outras atividades, entre tantos outros malefícios.

Vocês veem como é necessário estabelecer limites?

Esta reflexão não é para que vocês responsáveis se culpem, é para que juntos possamos encontrar estratégias que contribuam para um desenvolvimento infantil de qualidade, para que as nossas crianças entendam que tudo podem, desde que seja com moderação e responsabilidade, para que elas percebam as inúmeras maneiras de diversão e não fiquem obcecadas pelas telas.

É uma tarefa difícil para nós encarregados da educação dos nossos filhos, mas precisamos ser persistentes e questionar o que a gente ouve por aí. Sabemos o que é bom e contribui na vida das pessoas e não é preciso muito para manter uma criança concentrada. Acreditem, não é apenas a TV que tem esse poder.