Criar uma rotina para a alimentação da criança exige muita disciplina por parte dos pais e é essencial. Com horários definidos para as refeições, a criança não comerá o tempo todo, muitas vezes só por mania.

A gente sabe que nem sempre é uma tarefa fácil, mas para a criança se alimentar bem e aprender a comer vários alimentos é preciso saber oferecer, não é simplesmente colocar a comida no prato e entregar. O primeiro contato com alguns alimentos não será tão agradável, por isso precisamos estar por perto, dando exemplo e incentivando a criança a ingerir o alimento.

Quantas vezes ouvimos alguma mãe dizer: o meu filho não come nada e não tem jeito.Mas será que está sendo dada a devida atenção a esse momento que é tão importante no desenvolvimento infantil?Será que estamos, de fato, nos preocupando com aquilo que vai para o prato dos nossos filhos?

Pense comigo: só alcançamos o sucesso em algo quando insistimos quantas vezes forem necessárias para chegarmos lá. Assim também deve ser na vida de nossas crianças, que são seres humanos adquirindo conhecimentos. Nesse processo em que tudo é novo, cabe a nós pais, mães ou quem ajuda no cuidado com criança sermos persistentes e jamais desistirmos de oferecer determinado alimento por achar que a criança não gosta.

Começar desde cedo com bons costumes só irá contribuir para se ter uma mente consciente da importância de uma boa alimentação presente em sua vida, evitando, assim, vários problemas, como, por exemplo, a obesidade infantil.

A criança precisa crescer compreendendo que é possível manter um equilíbrio, que como seres humanos temos vontades de comer algo não tão saudável de vez em quando, que isso é normal, mas não deve interferir em nossa rotina alimentar.

Listarei algumas dicas que considero fundamentais para estabelecer uma rotina alimentar na vida das crianças:

  • Definir horários para as principais refeições (café da manhã, almoço, jantar e lanches)
  • Procurar sempre que a criança sente-se à mesa;
  • Criar um cardápio semanal e tentar oferecer alimentos variados;
  • Colocar no prato, mesmo que a criança não goste de determinado alimento;
  • Evitar líquidos durante as refeições;
  • Ser exemplo e mostrar que você gosta daqueles alimentos;
  • Evitar que algo chame a atenção da criança nesse momento (como tv, som, tablet, etc.)
  • Não forçar a criança a comer;
  • Cozinhar seu próprio alimento sempre que possível;
  • Evitar ultraprocessados, salgadinhos, frituras; (determine o dia de comer uma besteira)

Portanto, é de responsabilidade dos pais e de toda a família contribuir com esse momento considerável no desenvolvimento dos pequenos. Exige muita paciência, persistência e amor por parte de todos, afinal, nem sempre é tão simples, porém, é possível conseguir bons resultados, desde que não desistamos.