Essa é uma das perguntas que mais ouvimos quando estamos grávidas.

E, depois da resposta, muitas pessoas ainda questionam a nossa escolha. Mas o importante é o amor, o afeto e o carinho que teremos um com o outro. Mãe e filho(a), conectados(as), independentemente do tipo de parto que trouxe a criança ao mundo.

Nosso vínculo começa a partir do momento em que descobrimos a gravidez e vai se fortalecendo no dia a dia. Logo, não será o tipo de parto que irá determinar isso.

Já pude presenciar os dois tipos e conhecia um pouco sobre eles. Fui também muito orientada, mas nunca pressionada, sempre livre para tomar minha decisão. Quando engravidei, tive a oportunidade de escolher a cesariana e recebi todo o apoio de minha família, o que só me fortaleceu para aquele dia.

Há mulheres que preferem o parto natural, têm segurança nessa alternativa. No fim, só precisamos estar felizes com nossa escolha e prontas para a chegada do bebê.

E isso requer respeito e apoio, pois mesmo sendo um período de extrema felicidade, não se trata de uma decisão simples, é algo que mexe com nosso sentimento, desperta muitas dúvidas, medos e inseguranças, envolve toda nossa vida, é a melhor e mais sonhada espera.

Independentemente do parto, nós só queremos um gesto de carinho que nos dê tranquilidade, que passe confiança e que transmita um “vai dar tudo certo, você é forte, estamos aqui com você”. Sem julgamentos, sem questionamentos.

A gestação já nos deixa sensíveis, muita coisa passa por nossa cabeça, principalmente na hora do parto, mas sabe aquela coisa de energia positiva?

Pois é, isso funciona e vocês não sabem a importância dela para nós naquele instante. Acalma, ou pelo menos dá conforto ao nosso coração.

Então, vamos respeitar a decisão de cada gestante!

Futuras mamães, confiem no profissional que vocês escolheram para acompanhá-las e sigam o seu coração.